Skip to content

A Roda de Choro

março 6, 2010

Por André Vasconcelos

Carrego comigo um orgulho de ter sido integrante do Clube Central Isaías Lima de Triunfo participando como “músico” e também como membro da diretoria. No próximo 31 de maio, a “Isaías” completará 120 anos de devotamento à cultura, sendo a mais antiga banda de música do sertão pernambucano.
Em junho de 2007, fui convidado para participar da entrega de instrumentos aos alunos da escolinha de música mantida pela Ísaias Lima e que naquele instante estavam sendo recebidos como músicos da “Banda”. Foi uma confraternização bonita realizada no Cine Theatro Guarany, momento de alegria e festa. Na oportunidade (foto acima), alguns músicos se reuniram de improviso para uma singela apresentação aos recém acolhidos na família Isaías Lima: Gilvan Júnior (percussão), Leonildo (percussão), Adriano (clarinete), eu como enxerido no violão, Luciano (trompete) e André do sax. Sem muita pretensão escolhemos duas músicas: o dobrado 4 Dias de Viagem e o choro Doce de Coco de Jacob do Bandolim. A partir daí nasceu a idéia de realizar uma roda de choro.

Sempre comentava com os colegas a necessidade de não só nos confraternizarmos, mas também realizarmos um trabalho de mostrar as pessoas que existia opção à esse tipo de “música” imposta aos nossos ouvidos através das rádios comerciais comedoras de jabá. Ouvi de alguns músicos que participam de bandas de forró falsificado: “… infelizmente não toco a música que gosto. Tenho que me prostituir tocando esse tipo de música para ganhar uns trocados, pois tenho contas a pagar”. Isso é muito triste. Infelizmente é o mercado de trabalho que se tem. Fiquei matutando tudo isso…

Em 2008, através de um conhecido que se encontrava em Triunfo, o grande bandolinista Marco César, professor do Conservatório Pernambucano de Música, tive a oportunidade de ser apresentado ao renomado músico Cacá Malaquias, que para nosso orgulho é filho do Pajeú (Carnaíba). Eu já acompanhava o trabalho de Cacá na Banda Mantiqueira junto ao virtuose Proveta. Em nossa conversa chegamos a uma constatação de quão necessário era a união, integração e interação entre cada recanto do Sertão do Pajeú. Afinal são todas cidades irmãs descendentes da mesma Flores, a qual é mãe ou avó de todos os municípios do Vale do Pajeú, tão conhecido pela sua poesia e riqueza cultural e folclórica.

Em 2009, o blog Boom, Triunfo, Boom – do amigo Lucivaldo Ferreira (competente maestro da Banda Isaías Lima) – abraçou a idéia de divulgar e incentivar a “Roda de Choro”. Músicos de Triunfo unidos aos amigos de Serra Talhada se juntaram e realizaram a primeira roda de choro na Praça Carolino Campos, tendo por testemunha o Lago João Barbosa, o Cine Theatro Guarany e os presentes que, para nossa alegria, gostaram do que ouviram e viram. Desde a primeira roda de choro contamos com a parceria do blog, de Lucivaldo e do talentoso saxofonista Josenildo ZZ, filho de Serra Talhada que apostou na iniciativa e convidou músicos de sua terra natal a se unirem a causa.
Sentimos então, a necessidade de fazer aumentar esse grupo de conterrâneos do Pajeú. Numa roda de choro não tinha como ficar ausente os representantes de Carnaíba – a Cidade dos Músicos. Levamos a idéia a Cacá Malaquias que unido a seu Manezinho (sanfoneiro) e Sivuca (percussionista) chamaram um batalhão de músicos de Carnaíba; um reforço de peso.

Neste 2010, no mês de janeiro, os Chorões do Pajeú se reuniram no Bosque Horácio Timóteo em Triunfo, onde contamos com a parceria do amigo Roberto Vasconcelos do Beto´s Bar e Restaurante.
Em fevereiro estivemos no Pátio de Eventos de Carnaíba sendo muito bem recebidos pelos alunos e professores da Escola de Música Maestro Israel Gomes e pelo prefeito do município Dr. Anchieta Patriota que convidou os Chorões do Pajeú a retornarem a terra de Zé Dantas. Agora no mês de março, a próxima cidade anfitriã será Serra Talhada. A Roda de Choro com os Chorões do Pajeú acontecerá no dia 20/03 (sábado), a partir dàs 19h, na Concha Acústica, durante a Feira Mensal de Artesanato. Estaremos sempre divulgando através do Boom, Triunfo, Boom – a data, local e horário das rodas de choro.

É uma brincadeira sadia. A “Roda de Choro” é realizada e mantida pelos Chorões do Pajeú, grupo composto pelos músicos participantes. Não recebemos cachê, dinheiro de nenhuma entidade. Vamos às cidades voluntariamente até quando os integrantes estiverem dispostos a participar. As despesas com deslocamento e outras mais são custeadas pelos próprios músicos. Contudo, não deixamos de lado nosso compromisso em divulgar a boa música, o Pajeú e reverenciar mestres que muitas vezes são esquecidos. Uma roda de choro é sempre muito aberta, democrática; cada um abraça seu instrumento de sopro, percussivo ou de corda e participa. É uma confraternização, união, … O músico que tiver interesse em participar é só chegar com seu instrumento e tocar e quem quiser ouvir fique à vontade. Além do tradicional chorinho têm forró, baião, xote, frevo … enfim música brasileira. Esse é o nosso intuito. Divertir, confraternizar e mostrar que é possível as pessoas participarem e gostarem de música que não apela para baixaria tão em evidência hoje nas rádios e nas festas realizadas às custas do dinheiro público por prefeituras da nossa região. Que essa integração do Pajeú aconteça na música, na literatura, nas artes cênicas, no folclore, nos esportes… Que possa haver uma enorme mobilização e articulação em prol da cultura pajeuzeira. Precisamos nos conhecer, estar mais próximos, sermos mais fraternos.

Nosso agradecimento ao bom Deus por essa oportunidade, aos músicos “Chorões do Pajeú” e as pessoas que sempre nos incentivam: Lucivaldo Ferreira, Murilo Simões, Avelar Menezes, Jaelson de Araújo, Chico Leite, José Carvalho, Jozenildo ZZ, Agnaldo, Giannotti, Anselmo Alves e a tantos outros que contribuem com entusiasmo e carinho pela iniciativa.

Nosso reconhecimento e gratidão aos mestres Manezinho (sanfona), Zé Preto (pandeiro), Sérgio (violão) e Cacá Malaquias (flauta, clarinete, sax tenor e pífano) pelos ensinamentos, humildade e disponibilidade em estar com os recrutas que somos nós, seus aprendizes. Que a roda rode.


Viva o Reino Encantado do Pajeú das Flores!!!!

Viva a cultura brejeira, sertaneja, pernambucana, nordestina, brasileira!!!!
Anúncios
3 Comentários leave one →
  1. março 9, 2010 5:04 pm

    ….Quero parabenizar os chorões do pajeu, por saber que meu amigo, o flautista vicente Barbosa, está entre tanos os outros… Até breve!!!

  2. março 10, 2010 1:47 am

    Olá! Que bom saber que existem interessados que acompanham o trabalho de Vicente e dos Chorões do Pajeú. Vicente e sua flauta são sempre presentes na nossa roda de choro. Eu particularmente gosto muito quando ele toca uma música que foi composta para violão mas que ele interpreta muito bem na sua flauta; chama-se Sons de Carrilhões – de João Pernambuco. Outra música que gosto muito com ele é Esquerdinha na Gafieira – de Altamiro Carrilho. Obrigado pelo comentário.

  3. março 10, 2010 9:29 pm

    Gostei do comentário Andre, tb gosto qdo vcs interpretam Garoto…um abraço para a galera dos chorões e parabens pelo excelente trabalho da BTB/TV. now's the time!!! Vicflautista.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: